As mais populares atividades para educação infantil (E por que elas são insuficientes!)

A infância é um período de formação muito importante. É nesse momento que começamos a nos constituir como sujeitos e a desenvolver diversas habilidades. Esse também é um período regido pela imaginação e ludicidade que são responsáveis por mediar as relações que as crianças estabelecem com o mundo. O desenvolvimento de boas práticas para essa faixa etária servirá de base para o restante da formação das crianças.


Assim, é nesse período escolar que podemos proporcionar às crianças atividades que favoreçam o desenvolvimento da autonomia, independência, criatividade e outras habilidades. Trabalhar com alinhavo, materiais naturais e pintura promove o desenvolvimento da coordenação motora, por exemplo, que é fundamental para as crianças desenvolverem a habilidade necessária para a escrita no período de alfabetização. Porém, ao pesquisarmos rapidamente pelo Google - "atividades para educação infantil" - nos deparamos com propostas como essas:


Nos últimos anos, a pressão por resultados e a aplicação de testes padronizados em massa durante os anos do ensino fundamental e médio tem causado reflexos na educação infantil. A alfabetização é exigida cada vez mais cedo e o espaço da ludicidade e exploração livre passa a ser dedicado a um "treinamento" para que as crianças se adaptem ao ritmo do ensino fundamental. Propostas e materiais como esses que privilegiam a cópia, reprodução, padronização, repetição vão se avolumando no histórico das crianças e dando a pais e educadores a sensação de produtividade e desenvolvimento. Além disso, materiais como esses estão presentes na educação infantil há muito tempo, e pressupõem uma criança bem pouco autônoma e pouco capaz de criar e desenvolver seu aprendizado para além do que é pedido na atividade. Esse tipo de proposta pode até atender a alguma demanda ou contexto específico, mas será que esse é o melhor que podemos oferecer às nossas crianças? O que essas atividades nos dizem sobre a nossa concepção de criança e de educação para a infância?


POR QUE (Por que essas propostas não suprem a necessidade da educação infantil?)


Considerando a característica criativa dessa faixa etária e a importância que existe em expor a criança a uma diversidade de experiências para que possa desenvolver habilidades tão necessárias para o seu desenvolvimento, entendemos que é preciso expandir os horizontes no planejamento de atividades para a educação infantil. Quanto maior for a diversidade de materiais e experiências que as crianças possam explorar, melhor será o seu desenvolvimento. Além disso, é preciso considerar as características principais dessa faixa etária. O objetivo da educação infantil não é a alfabetização. Esse é um período em que as crianças estão aprendendo a se comunicar através da fala, entendendo as diferentes formas de se relacionar, ampliando o seu círculo de relações (saindo do convívio exclusivo da família). O corpo, a fala, a música, os gestos são as principais formas de comunicação e de relação dessas crianças. A educação, nessa faixa etária, precisa estar voltada para essas características.



EDUCAÇÃO HOLÍSTICA


Na contramão desse formato mais padronizado, vemos surgir movimentos que valorizam autonomia e autoria, trazendo ao centro da discussão os interesses das crianças e a ideia de que as próprias crianças liderem o seu aprendizado, com espaços abertos e flexíveis e tempos largos que permitam a exploração livre de materiais e contextos. Hoje é muito comum ouvirmos sobre a pedagogia Reggio Emilia, que aplica esses princípios em suas práticas. Mas é interessante perceber que esse não é um movimento novo. Friedrich Froebel, considerado o pai do jardim de infância, desenvolveu um modelo de educação que já trazia essas questões como carro chefe. Maria Montessori e Rudolf Steiner são outros nomes conhecidos da pedagogia que também consideram esses princípios para a educação de crianças.

Na Wish School nos inspiramos em diversos desses movimentos, e também ampliamos nossas práticas entendendo a necessidade da educação de desenvolver o indivíduo como um ser único e completo. Chamamos isso de Educação Holística.

SUGESTÕES


Para promover práticas pedagógicas que estejam alinhadas com a ideia de uma educação mais significativa é preciso ampliar os horizontes de possibilidades do que propomos para as crianças. É preciso escutá-las e adaptar as demandas dos educadores aos interesses do grupo e de cada criança em sua singularidade.

Para oferecer inspiração e promover reflexão, compartilharemos 5 sugestões de atividades que promovem diversas habilidades e seguem a ludicidade como força motriz.


1 - Brincadeira com materiais naturais


Estar próximo e em contato com a natureza já é maravilhoso por si só. Mas a natureza, além de todas as boas sensações que nos proporciona, pode também trazer oportunidades de brincadeiras em que as crianças se divertem e aprendem. Pintar com elementos naturais - que cores podemos encontrar na natureza, será que conseguimos tingir papéis com elas? Classificar objetos naturais - a diversidade de cores e formas é tanta que demanda das crianças uma série de estratégias de classificação e categorização. Misturar, descobrir, transformar - o acesso a diferentes texturas, formatos, tamanhos cria um verdadeiro laboratório para as crianças explorarem.


SUGESTÃO - Prints naturais

Idade - 2 a 5 anos

Tempo - 15 a 30 minutos

Espaço - sala de atividades/ quintal

Material - cenoura, beterraba, folhas de espinafre, folha sulfite

Objetivos - Explorar e reconhecer o corpo como produtor de marcas, explorar elementos naturais suas cores, cheiros e sabores.

Preparação - Corte a cenoura e a beterraba em pedaços, separe as folhas de espinafre, distribua em potinhos.

Antes de começar a atividade, estimule as crianças a explorar os legumes, sentir as texturas, o cheiro, pergunte se eles sabem o nome , se já experimentaram, etc. Essa atividade também pode render uma boa conversa sobre hábitos alimentares saudáveis.



2 - Matemática e o corpo



E se o corpo fosse instrumento de medida? Explorar o movimento e ao mesmo tempo as possibilidades da presença do corpo na escola pode ser um jeito lúdico e muito interessante de pensar medidas com os pequenos. Quantas crianças cabem embaixo da mesa? Quantas crianças são necessárias para medir o tamanho da rampa? A materialidade e concretude que o corpo dá a propostas como essas facilita muito as crianças a pensarem mais abstratamente quando chegar a hora.


2 - Explorando medidas - Matemática

Idade - 4/5 anos

Tempo - 30 minutos

Espaço - Lugares da escola

Material - o corpo das crianças

Objetivos - Trabalhar a noção de espaço, experimentar e comparar medidas não padronizadas de comprimento, registrar observações e medidas usando múltiplas linguagens

Etapas - Estimule as crianças a pensarem sobre algumas grandezas e medidas, você pode usar objetos e espaços da sala. Qual o tamanho das nossas mesas? Qual o comprimento da nossa sala? Quanto mede da sala até o banheiro? Deixe que as crianças levantem hipóteses, muito provavelmente eles irão trazer a ideia de passos, pés ou mãos. É importante fazer comparações e estimativas.

Em seguida damos a sugestão de uma forma de registro. Ela pode ser uma atividade em sala ou uma lição de casa.

https://docs.google.com/document/d/1uooVW8upLoTK40g5581tD2ap99h84J9RpWgIDf8DCeM/edit


3 - Coordenação motora


O trabalho manual é muito importante em qualquer fase do nosso desenvolvimento. Poder estar concentrado em algo, perceber que você foi responsável por construir ou criar algo do começo até o final, usar as habilidades e a criatividade com uma finalidade estética, são muitas as razões para trazermos os trabalhos manuais para dentro da escola. Na educação infantil, há ainda um motivo extra que é o desenvolvimento da coordenação motora. Atividades como enfiagem, costura, crochê alegram as crianças e auxiliam uma prática importante para a escrita e para atividades que demandam um controle mais fino das mãos.


SUGESTÃO - Alinhavo/Costura

Idade - 2 a 5 anos

Tempo - 30 minutos

Lugar - sala de atividades

Material - papel cartão, furados, barbante, lã. Pode-se usar também miçangas grandes ou macarrão tipo Padre Nosso, fita crepe.

Objetivos - Desenvolver as coordenação motora (exige controle da força, delicadeza para não rasgar), despertar a criatividade, proporcionar experiências em diferentes linguagens e com materiais diversos.

Preparação - Corte o papel cartão em retângulos de mais ou menos 20x15cm, com o auxílio de um furador de papel, faça furos de forma aleatória por toda a superfície. Amarre o barbante (mais ou menos 40cm) em um dos furos e enrole um pedaço de fita crepe na outra ponta para fazer uma “ponteira”.

Num mesmo suporte a criança pode passar vários barbantes coloridos.

Eles também gostam muito de fazer pulseiras e colares com as lãs coloridas e as miçangas de macarrão.


Atividades para educação infantil
Fonte: Arquivo Wish School

4 - Construção com sucata(materiais de largo alcance ou não estruturados)


Esse tipo de construção permite que as crianças possam trabalhar desde o planejamento - o que querem fazer, que materiais vão precisar, quais são as etapas da construção - até as habilidades manuais envolvidas com a complexidade das criações. E a riqueza da proposta não termina aí, elas vão se divertir e praticar todas essas habilidades através de atividades autorais em que podem desenvolver também a criatividade.


Construção com sucata( materiais de largo alcance, não estruturados)

Idade - 2 a 5 anos

Tempo - 30 minutos

Lugar - Sala de atividades

Material - sucata limpa, fita crepe, cola quente (só para uso do adulto)

Objetivos - Desenvolver diferentes formas de expressão e habilidades artísticas, fazer representações bidimensionais e tridimensionais, integrar a expressão artística a outras áreas do conhecimento. (sustentabilidade e matemática)

O brinquedo-sucata permite a quem brinca com ele desvendá-lo, ressignificá-lo, pois é um objeto que possui inúmeros significados que não são óbvios nem estão evidentes.

Etapas - É muito importante preparar a forma como os materiais serão oferecidos, organize por tipo de material, por exemplo: plásticos, papelão, isopor,etc.Também é importante que um adulto fique perto o tempo todo, auxiliando nas diversas maneiras de se “juntar” as peças. Chame 2 ou 3 crianças por vez, peça que olhem os materiais disponíveis e imaginem o que gostariam de construir,depois elas podem pegar os materiais e explicar o que gostariam de montar e como cada peça vai “colar” na outra. Você pode ter a pistola de cola quente pronta ao seu lado (longe do alcance das crianças), com ela normalmente fica mais fácil colar os diferentes tipos de material.


5 - Leitura


Crianças fazendo atividades para educação infantil
Fonte: Arquivo Wish School

Apesar do foco da educação infantil ser a brincadeira e a ludicidade, é importante proporcionar às crianças uma diversidade de interações com a leitura e a contação de histórias. Essas propostas ajudam a criar uma relação afetiva das crianças com os livros que auxiliará na fase de alfabetização e no desenvolvimento do hábito leitor. Além disso, a leitura também pode ser uma brincadeira! As crianças podem escolher qual livro querem levar para casa para ler durante a semana e depois podem contar para a turma o que acharam, ou fazer um álbum de figurinhas e colecionar adesivos com as capas dos livros que já leram. Ou ainda, podem fazer uma brincadeira de troca de livros com os colegas!


O PORTAL EDUX

Se você se interessou por saber mais sobre formas alternativas de transformar a educação, venha conhecer mais sobre o nosso Portal. Nele reunimos exemplos, teoria e experiências sobre uma forma diferente de fazer educação. A ideia é criar uma comunidade de aprendizagem na qual os assinantes possam compartilhar suas ideias, dúvidas e soluções, formando uma rede de apoio para a transformação! Clique aqui e saiba mais.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo