top of page

Entenda a importância do brincar na educação infantil

Atualizado: 21 de mar. de 2023

O brincar é um movimento muito natural nas crianças. Qualquer criança, em qualquer lugar, com qualquer idade, brinca!


Porém, por alguma razão, brincar passou a ser considerado menos importante do que outras coisas, absorvendo um sentido que o coloca como o oposto do trabalho e da coisa séria.


Quantas vezes escutamos um adulto dizer: "Agora não é hora de brincar."? Mas o que significa ser a "hora de brincar"?


Essa afirmação pressupõe que existe um tempo certo e limitado para a brincadeira e que outras coisas - comer, estudar, etc - não são brincar.


Será que a seriedade é mesmo oposta à brincadeira? Será que existe, de fato, essa dicotomia entre o brincar e o trabalho/estudo? Será que crescer significa deixar de brincar?


São essas algumas das perguntas que esse texto pretende responder.


Qual é a importância do brincar na educação infantil?


A importância do brincar na educação infantil está em tudo! É através do brincar que as crianças:

  • Entram em contato com conhecimentos;

  • Elaboram, na sua experiência, o seu entendimento do mundo adulto;

  • Ensaiam o seu desenvolvimento físico e intelectual.

Desde o nascimento, as crianças testam coisas com o seu corpo, com os objetos ao seu redor, com as pessoas que os rodeiam e, assim, desenvolvem habilidades motoras e passam a compreender o mundo à sua volta.


Ao tentar rolar, por exemplo, um bebê brinca com as possibilidades do seu corpo. É nesse esforço de tentativa e erro que ele desenvolve as habilidades motoras (o movimento do corpo, entende quais músculos precisam ser ativados, quais são os apoios que podem ser utilizados) para conseguir fazer esse movimento.


Da mesma maneira, crianças que brincam de casinha, por exemplo, estão explorando as possibilidades das relações e dos papéis sociais. O que significa ser a mãe? O que significa ser o filho? O que significa ser o pai? Quais são as funções de cada um? Esses papéis são fixos ou existe uma flexibilidade entre eles (as crianças se revezam nos papéis ou sempre tem o mesmo personagem)? Quais são os conhecimentos que cada papel exige?


As crianças que estão no papel de adultos, por exemplo, exercitam conhecimentos relacionados ao universo do adulto - como fazer a comida, como usar o fogão, como servir a mesa, ir para o trabalho, dirigir, ter uma rotina específica.


Uma brincadeira tão comum como essa é extremamente importante para que as crianças possam elaborar questões socioculturais, entendendo, na cultura em que estão inseridas, como os papéis de cuidado e como as relações acontecem.


Além disso, desenvolvem também habilidades sociais, de troca de diálogo, de alternância de liderança (respeitar a vez do outro, entender qual é a sua vez de falar e qual é a vez do outro, etc), e habilidades motoras diversas (diferentes espaços onde essa brincadeira acontece proporcionam diferentes habilidades): ao fazer de conta que está cozinhando, por exemplo, a criança manipula diferentes objetos e desenvolve a habilidade de segurar, de mexer, de virar, etc.


O brincar como forma de se relacionar, se expressar e compreender o mundo - estudante da turma KJ (4 e 5 anos) brinca com areia e materiais de uso cotidiano (bandeja, pegador, copo), compenetrado no seu faz de conta.


O que as crianças aprendem ao brincar na educação infantil?


É muito comum ouvirmos de pais a seguinte afirmação e pergunta:


"Mas as crianças brincam na escola. Quando que elas aprendem?"


Ao acrescentar a palavra "só", o adulto está implicando que brincar e aprender são coisas distintas e que não acontecem simultaneamente.


Temos em nosso inconsciente coletivo (ou talvez seja consciente para alguns), a ideia de que aprender significa estar sentado, em uma carteira, lendo ou escrevendo, fazendo uma atividade.


Claro, passamos anos e anos de nossas vidas como estudantes exatamente neste formato (carteiras, livro, caderno, professor na frente) e esperando a hora do intervalo ou o fim do dia para poder brincar. Daí vem essa ideia de que brincar e aprender são coisas opostas.


Acontece que, principalmente na educação infantil (durante toda a nossa vida, na verdade, mas isso é assunto para outro texto), aprender e brincar são sinônimos. E brincar, nessa faixa etária, é extremamente importante para o desenvolvimento da criança.


Aqui elencamos 4 áreas de aprendizagem que são desenvolvidas durante a brincadeira:


Relações sociais


Durante diferentes brincadeiras as crianças desenvolvem a importante noção de regras. Toda brincadeira tem uma regra a ser seguida, caso contrário ela não acontece.


Assim, ao brincar, as crianças passam a entender que existem regras que acompanham todas as nossas interações sociais e que sem elas, as relações não acontecem.


Elas passam a entender que as regras existem no mundo para organizar determinadas situações e que existe uma consequência caso elas sejam quebradas, mas que elas podem ser alteradas e maleáveis dependendo de cada situação.


Além disso, durante a brincadeira as crianças compreendem de maneira muito natural a importância do respeito com o outro, de expressar seus pensamentos e de ouvir o que os colegas estão expressando.


Enquanto brincam, as crianças têm a oportunidade de experimentar questões de liderança (quem puxa a brincadeira, quem elabora o faz de conta) e também aprendem a lidar com a frustração (um aprendizado importantíssimo) quando alguém não acompanha o que a criança havia imaginado no seu faz de conta, ou não aceita o que a outra colocou como parte da brincadeira.


Assim, as crianças aprendem valores importantíssimos para o desenvolvimento das relações sociais e do convívio em sociedade que lhes serão essenciais para o resto da vida.


Criatividade e imaginação


Um aprendizado que é fundamental para o nosso desenvolvimento como seres humanos é a criatividade e a imaginação.


São elas que nos permitem elaborar pensamentos abstratos e complexos e estão no cerne do aprendizado de conteúdos considerados canônicos escolares.


Sem a habilidade imaginativa não conseguimos compreender conceitos matemáticos e fazer a relação entre eles e as nossas vidas.


Da mesma forma, sem a imaginação, não conseguimos entender como um acontecimento histórico de centenas de anos atrás pode influenciar e fazer parte das nossas vidas hoje.


Essas habilidades são desenvolvidas principalmente durante o brincar quando somos crianças, através do faz de conta, da utilização de materiais não-estruturados para construir um brinquedo, e de muitas outras experiências.


Explorações corporais na brincadeira de faz de conta - estudantes do KJ (4 e 5 anos)


Cultura


A brincadeira também é uma maneira pela qual as crianças percebem e absorvem a cultura na qual estão inseridas.


Desde costumes e falas que aparecem nas brincadeiras de faz de conta, até as diferentes brincadeiras populares de cada região e lugar.


Apesar de haver muita similaridade entre as brincadeiras, é inevitável que crianças em países diferentes tenham brincadeiras diferentes.


As músicas de pular corda, por exemplo, vão ser diferentes em diferentes lugares e vão refletir costumes e crenças daquela cultura específica (apesar de o pular corda ser uma constante).


Assim, durante as brincadeiras, as crianças internalizam e expressam os valores de sua cultura.


Habilidades motoras


É durante o brincar que as crianças exercitam a maior parte de suas habilidades motoras.


Desde o movimento do corpo de maneira mais ampla (através de correr, pular, escalar, escorregar, rastejar, etc) até os movimentos de coordenação motora mais fina (pegar, pintar, mexer, espremer, apertar, soltar, etc).


O bom desenvolvimento dessas habilidades motoras se refletem em diversos aspectos conforme as crianças crescem. Habilidades motoras finas, por exemplo, são essenciais para o desenvolvimento da escrita.


Crianças que tiveram a oportunidade de explorar e exercitar diferentes movimentos corporais, desenvolvem uma melhor coordenação motora e consciência corporal.


Como as brincadeiras auxiliam no desenvolvimento infantil?


As brincadeiras auxiliam no desenvolvimento infantil porque é através delas que as crianças percebem o mundo.


Renata Meireles, no documentário "O começo da vida 2" do Netflix, diz que "[para além de conceitos,] quando a criança brinca, ela aprende a perceber o que há de vivo dentro das coisas".


É isso. Brincar é vida.


E mais importante. Falamos muito do brincar com relação às crianças, mas o brincar existe para os adultos também!


O documentário "Territórios do Brincar", produzido pela Renata Meireles, inclusive, é uma ótima fonte de referência para entendermos a importância do brincar.


Brincar é aquele momento em que estamos imersos em uma atividade que preenche todo o nosso ser.


Essa noção é essencial para que passemos a perceber o brincar como coisa séria e a coisa séria como brincar. Para que passemos a notar que o brincar não pode existir somente no tempo livre, no tempo do "não importante".


Porque se brincar é vida, ele é muito importante! E precisamos, então, perseguir o brincar em tudo o que fazemos. Precisamos aprender com as crianças como nos contaminar desse brincar constante.


E você, já brincou hoje?





87 visualizações0 comentário
bottom of page