top of page

Entenda a importância da arte na educação infantil

Atualizado: 23 de mar. de 2023

As aulas de arte têm, no geral, um estigma de serem menos importantes do que as outras matérias e conteúdos presentes na vida escolar dos estudantes.

Além disso, as artes são muitas vezes reduzidas a um único estilo ou formato, quando, na verdade, devem incluir expressões e práticas tanto plásticas quanto musicais e corporais, que abarquem as artes visuais, a música, o teatro e a dança.

As artes têm um papel fundamental na formação do ser humano, desenvolvendo durante toda a trajetória escolar habilidades e competências que são essenciais para a nossa constituição como indivíduos.

Entendo que as artes também podem ser um tanto assustadoras – às vezes é difícil de entender, muitas pessoas não se sentem convidadas e confortáveis nos espaços artísticos como museus ou teatros – e isso influencia na forma como esses conhecimentos participam da educação.

Mas não precisa ser assim! O objetivo desse texto é esclarecer algumas perguntas frequentes sobre a arte na educação, para que mais pessoas se sintam convidadas a participar dessa área do conhecimento que é tão importante.

Qual é a importância da arte na educação infantil?

A arte na educação infantil é importante porque é através dela que as crianças dessa faixa etária desenvolvem habilidades culturais, comunicativas e corporais.

A arte, então, deve ser a base para o planejamento das propostas pedagógicas.

Além disso, considerando que a criança na educação infantil aprende principalmente através da experiência, a arte é essencial para promover às crianças o contato com uma ampla variedade de referências e experiências.

É através da arte que as crianças poderão experimentar diversos modos de ser e de se comunicar no mundo.

Como a arte auxilia no desenvolvimento das crianças?

A arte está conectada a diversos aspectos do desenvolvimento das crianças.

É na vivência de diferentes tipos de música, por exemplo, que as crianças desenvolvem aspectos importantes da linguagem: aprendem novas palavras, entendem a noção de ritmo, de tempo, de silêncio.

A exposição a diferentes tipos de materiais artísticos para pintura e desenho permite às crianças desenvolverem habilidades de coordenação motora fina que, futuramente, auxiliarão no desenvolvimento da escrita.

Vivências que exploram o movimento do corpo através de conhecimentos relacionados à área da dança favorecem às crianças o desenvolvimento de sua consciência corporal, a noção espacial e o entendimento dos limites do seu próprio corpo.

Por fim, o teatro aparece na educação infantil através da fantasia, da contação de histórias e das brincadeiras de faz de conta tão presentes e naturais para crianças nessa faixa etária.

Propostas como essas auxiliam no desenvolvimento das construções sociais da criança, do entendimento dos papéis que ocupa no mundo e de como a cultura em que ela se encontra opera.

Como a arte é trabalhada nas escolas?

Apesar do papel fundamental que a arte tem na educação, essa área é muitas vezes deixada de lado nas escolas ou utilizada de maneira muito superficial.

Atividades como:

  • carimbar as mãos com tinta, formando uma figura pré-determinada (uma árvore, por exemplo);

  • colagem de bolas de algodão para fazer o formato de uma nuvem;

  • colagem ou pintura de desenhos já prontos.

São muito comumente encontradas como atividades artísticas na educação infantil. Elas podem ter sim o seu lugar, mas a arte proporciona experiências e aprendizados muito mais elaborados.

É necessário entender a arte como oportunidade de expressão e experiência para a criança, de forma a desenvolver os aprendizados mencionados no item anterior. A proposta de campos de experiência que a BNCC traz inclusive prevê que a arte esteja inserida de maneira bastante orgânica na educação infantil.

Mas, como fazer isso? Veja abaixo algumas sugestões de atividades artísticas para a educação infantil.

Quais são os tipos de atividades artísticas para crianças?

Existem infinitos tipos de atividades artísticas para crianças. Aqui é importante explicitar que a arte vai além das representações gráficas e visuais (pintura, desenho, colagem). Ela também envolve conhecimentos da música, da dança e do teatro.

Artes Visuais

Artes visuais são aquelas que estão diretamente ligadas a elementos gráficos, como a pintura, o desenho, a colagem e a escultura, por exemplo.

Uma atividade relacionada às artes visuais que é bastante importante para o desenvolvimento da coordenação motora e também para a exposição das crianças a diferentes texturas e materiais naturais é o trabalho com argila.

Essa atividade pode acontecer com diversas variações:

  • Inicialmente, a livre exploração da argila, para que a criança se habitue à textura e à consistência do material;

  • Em seguida é possível incluir materiais que ajudem a transformar a argila, como palitos (de dente, de sorvete, de churrasco);

  • O próximo passo seria trabalhar com a construção de um objeto (que não precisa necessariamente ter um formato definido), explorando a junção de pedaços separados, a adição de argila para criar paredes, ou a remoção do material para criar perfurações;

  • Além disso, outra possibilidade é o trabalho com desenho na argila, utilizando objetos pontiagudos para criar padrões.

Estudante acrescentando detalhes na sua produção de argila.

Música

A música é muito natural para crianças nessa faixa etária e pode estar presente em diversos momentos da rotina:

  • Em rodas de cantoria, para começar o dia;

  • Em momentos de transição na rotina(tendo uma música padrão que ajude as crianças a identificarem o que deve acontecer, como a organização do espaço ou o início do lanche);

  • Em momentos específicos em que as crianças sejam estimuladas a explorar diferentes tipos de instrumentos e objetos que produzem som (tanto com instrumentos tradicionais, quanto com objetos como colheres de pau, por exemplo).

Aqui é importante dizer que música não significa somente músicas infantis. É importante trazer uma variedade de ritmos e gêneros musicais para que as crianças tenham um amplo repertório musical.

Se quiser uma sugestão, a turma do KJ (4 e 5 anos) da Wish, montou uma playlist com as suas músicas preferidas da roda de cantoria.

Estudante do Toddler experimentando o violão, com o auxílio da educadora.

Dança

A dança está diretamente relacionada às propostas de música e muitas dessas atividades podem acontecer em conjunto.

Uma ótima atividade para explorar habilidades de conscientização do corpo e do espaço é:

  1. Montar uma playlist com músicas em diferentes ritmos (uma mais lenta, uma mais rápida, etc);

  2. Ambientar o espaço com um ou mais tipos de materiais (bolas, ou bambolês, ou pedaços de tecidos);

  3. Inicialmente, a ideia é deixar as crianças explorarem esse material e observar como interagem com a mudança de ritmo das músicas;

  4. A partir dessa observação, o educador pode acrescentar ou alterar os materiais, e dar segmento às brincadeiras que surgiram durante a proposta inicial.

A cada mudança de material e da forma como o espaço é organizado, novos desafios corporais surgem e, assim, as crianças ampliam o seu repertório de movimentos.

Estudantes do KJ fazem estátuas a partir da provocação de uma música.

Teatro

O teatro aparece de maneira muito natural nas brincadeiras das crianças dessa faixa etária e pode ser incentivado através de diversas atividades como:

Contação de histórias

  • Feita pelos educadores;

  • Demonstrando variação de vozes;

  • Com a utilização de diferentes materiais que complementem a imaginação (como tecidos ou objetos);

  • Com fantoches.

Exploração de fantasias

Podem ser roupas de adultos, ou roupas mais inusitadas, que se transformam facilmente em fantasias para os personagens do faz de conta das crianças.

Faz de conta

Muito natural, surge na maioria das brincadeiras.

Podem ser acrescentados objetos e materiais que incentivem a criação ou a continuação de histórias, como bonecas, objetos de cozinha, caixas de papelão, entre outros.

Estudante do Toddler experimenta diferentes poses para combinar com a fantasia que está experimentando.

A arte é exploração e experimentação

A arte muitas vezes ocupa um espaço complexo no mundo adulto. Esse entendimento cria um bloqueio para muitas pessoas e muitos educadores podem querer evitar trabalhar com essa área do conhecimento.

Quantas vezes você disse ou pensou "eu não sei desenhar/cantar/dançar/pintar"? Esse é um pensamento muito recorrente quando o assunto é arte.

Mas, o objetivo desse texto era mostrar que a arte é, na verdade, muito simples e que todos podem acessá-la.

Não é necessário (e nem desejável) que fazer arte seja sinônimo de ser capaz de desenhar um corpo humano perfeitamente ou saber tocar um instrumento. Muito menos na educação infantil.

A arte é um convite à exploração e à experimentação, à utilização de outras maneiras de se comunicar. E mais: esse convite não é só para as crianças, mas para os educadores também!

Sugiro experimentar uma das atividades propostas nesse texto e contar para a gente nos comentários sobre como foi a sua experiência.

E se quiser ver como essas ideias se traduzem na escola, dá uma olhada nesse vídeo da Mostra de Artes que acontece todo ano na Wish.


78 visualizações0 comentário
bottom of page