top of page

Como os projetos ajudam a melhorar o aprendizado?

Atualizado: 23 de set. de 2022

Você sabia que nós aprendemos melhor quando estamos envolvidos com um assunto de nosso interesse?


Para que a aprendizagem seja significativa é preciso que ela tenha algum vínculo com o sujeito aprendente: um problema a ser resolvido, uma curiosidade, uma necessidade para um fim específico - interesse no sentido amplo da palavra.

Desde 1902, John Dewey, um importante pensador sobre educação, diz que conteúdos nunca podem ser "inseridos" no estudante através de uma força externa (porque alguém decidiu que aquilo era importante). O conteúdo precisa ser desejado.

Neste texto falaremos um pouco de como os projetos podem ser aliados nessa busca de unir desejos, interesses e aprendizados.


Como usar os projetos para uma rotina escolar mais significativa?

O aprendizado acontece a partir de uma força interna e ativa.

Para que o aprendizado esteja em conexão com a força interna de cada estudante, um dos recursos que podem ajudar são os projetos. Os projetos são um elemento chave para trabalhar a curiosidade dos estudantes e podem ser a base de uma rotina escolar centrada no aluno.


"If the teacher can make connections between subject matter and student interests, the student will often respond by engaging with the subject matter more directly." (Miller, 1988, p. 192)


O ponto de partida de um projeto é o interesse dos estudantes.

Quando o ano letivo começa, os educadores podem, além de engajar a turma em propostas para que se conheçam e se formem como grupo, oferecer uma variedade de provocações: leituras, discussões, vídeos, experiências.

Essas provocações servem para que os estudantes possam interagir com diferentes temas e informam os educadores sobre os interesses daquele grupo, até que encontrem algo que queiram pesquisar e aprofundar.

Com o tema escolhido, os educadores podem passar, então, a conectar o tema do projeto com os conteúdos previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a explorar diversas habilidades e competências necessárias para o desenvolvimento dos estudantes.

Isso não significa que a exploração e as experiências acabaram.

Aulas expositivas acontecem quando necessárias; porém, é a exploração ativa dos estudantes que é o formato dominante.

Alguns dos formatos que podem ser utilizados pelos educadores para aprofundar os temas escolhidos para o Projeto e os conteúdos ligados a eles são:

  • Jogos

  • Entrevistas

  • Visitas de especialistas (de dentro e de fora da escola)

  • Visitas a locais que sejam importantes para o projeto

  • Vivências

  • Explorações artísticas

  • Entre outros

É importante dizer que, além de os estudantes liderarem a escolha do tema do projeto, todo o desenrolar também deve acontecer a partir do diálogo com o grupo.

Quando o tema do projeto é escolhido, levantam-se diversas hipóteses e expectativas, mas é a partir de cada proposta, cada interação com o grupo, que esse projeto vai tomando forma. A imagem abaixo ilustra um pouco a ideia desse caminho da maneira que ele é percorrido no contexto da educação holística:



O ciclo acima é percorrido diversas vezes durante o projeto e muitas oportunidades de refazer, retomar, ajustar a rota são oferecidas.

Refletir sobre o projeto enquanto ele se desenvolve é essencial para que a aprendizagem seja significativa e os caminhos façam sentido para todos os envolvidos.


De maneira geral identificamos que os projetos podem ser de três tipos:


1. Responder perguntas

Esse é o tipo de projeto que surge quando os estudantes têm muitas perguntas acerca de um tema específico. Como um Projeto de Pesquisa, o objetivo será responder às perguntas através de pesquisas, conversas com especialistas, debates, discussões e levantamento de conhecimentos prévios e hipóteses.


2. Resolver um problema

Esse tipo de projeto surge a partir de uma demanda real. Um problema é identificado pela comunidade da escola (ou fora dela) e os alunos se engajam em solucioná-lo. Assim, os tutores e os estudantes identificam quais são as habilidades e competências necessárias para que cheguem até a solução deste problema.


3. Construir algo

Os estudantes decidem que querem construir ou criar alguma coisa. Pode ser uma criação artística, algo funcional ou algo que resolva uma demanda que o grupo identifique. Assim como nos projetos que visam resolver problemas, os educadores passam a trabalhar os conteúdos e as habilidades necessárias para que essa construção/criação seja bem sucedida.


Durante o processo do projeto, os educadores e estudantes constroem um mapa visual das propostas, conteúdos e competências explorados, criando um desenho do caminho que o projeto vai tomando. A imagem abaixo mostra um desses mapas.



Assim, quando o projeto é finalizado, tanto educadores quanto estudantes podem ter uma dimensão de tudo o que foi estudado e explorado, transformando as experiências em reflexão.

O mapa abaixo traz alguns dos temas de projeto que surgiram em 2021.




E aqui você pode ver um vídeo (Produzido pela educadora Bianca Coelho) que conta o percurso de um projeto de estudantes de year 3 e 4.


Para saber mais sobre os projetos e como eles se conectam com os demais dispositivos da educação holística, espia aqui.

Referências

Miller, J. P. (1988). The Holistic Curriculum (2nd ed.). University of Toronto Press.



91 visualizações0 comentário
bottom of page