top of page

Multietariedade na escola: crianças de diferentes idades têm alto potencial para construir conhecimentos

Aqui na Wish, nossas turmas seguem este conceito de reunir estudantes com idades diferentes. Conheça mais sobre os benefícios da multietariedade na escola para a construção de saberes


Há um consenso geral que diz que aprendemos mais pelo exemplo. A fala traz a profundidade; a explicação, o reforço positivo, mas a atitude é determinante no processo de aprendizagem, principalmente, das crianças. Não à toa, em 1999, a UNESCO indicou o aprendizado pela convivência como um dos quatro pilares fundamentais da educação contemporânea.


É por meio da troca de ideias e experiências que as pessoas, muitas vezes, conseguem internalizar alguns conceitos fundamentais. Já está comprovado que a construção ativa do conhecimento promove mais fixação do que simplesmente uma troca unilateral. Por isso, poder somar os saberes de vários estudantes é a principal proposta da educação multietária.


Há neste tipo de educação uma proposta de tornar a aprendizagem mais inclusiva e respeitosa ao ritmo e maneira de cada um aprender. 


Um pouco de história


A partir da Revolução Industrial, no século XIX, foi adotado que a idade seria a principal divisão entre as turmas escolares na busca por encontrar um perfil mais homogêneo de desafios e de aprendizado. O conceito começou na Inglaterra, espalhou-se pela Europa até ser difundido em grande escala pelo mundo. 


É interessante ressaltar que esse formato também se mostrava ser mais eficiente para a formação de novos trabalhadores para as fábricas que surgiam, prezando pela eficiência e não necessariamente pela qualidade. Afinal, não é porque indivíduos têm a mesma idade que estão na mesma faixa de aprendizado e que aprendem do mesmo jeito.


Só após a Primeira Guerra Mundial, na Alemanha, é que surgiram linhas mais preocupadas com o caráter humano. Muitos pais começaram a receber palestras em fábricas sobre como trabalhar temas sociais de forma educativa e isso os estimulou a replicar o aprendizado aos seus filhos.  


O que é a educação multietária?


As turmas multietárias reúnem estudantes de faixas etárias diferentes em um mesmo espaço educativo. Estimulam, desde cedo, a força do coletivo, o senso de responsabilidade, pertencimento e colaboração. E o que isso significa?


Uma criança que já tem conhecimento sobre uma matéria específica, por exemplo, pode se dispor a ajudar outra criança que está tendo dificuldade nesta mesma matéria. É algo que acontece naturalmente quando eles percebem que têm habilidades e conhecimentos diversos e que se beneficiam dessa colaboração.


A multietariedade na escola potencializa essas oportunidades e, consequentemente, a aprendizagem dessas habilidades e de outros conhecimentos. Neste espaço, há, portanto, um ganho da convivência na diversidade e de valorização da singularidade, unidade tão particular de cada um.


Por que a educação multietária acontece na Wish?


Conheça quais os ganhos e potencialidades a educação multietária em conjunto com a  educação holística proporciona aos estudantes da nossa escola.


Autoconfiança


Há uma tendência dos estudantes desenvolverem uma confiança maior em si mesmos ao ganhar habilidades que imaginam que só os mais velhos são capazes de fazer. 


Aqui temos o eixo do autoconhecimento, diretamente conectado com o espírito. Quando uma criança ou adolescente reconhece em si mesmo o conhecimento adquirido e compreende que pode compartilhá-lo para auxiliar aqueles que enfrentam dificuldades, isso reflete uma notável autoconfiança, um profundo autoconhecimento e uma autenticidade genuína que foram cultivados.


Aprendizagem colaborativa


A aprendizagem acontece por meio da vivência, da troca de experiências e da cooperação. O professor, com o papel de mediador, acrescenta abordagens pedagógicas que permitem que cada um se desenvolva em um ritmo e de uma forma particular. Ele incentiva e conduz para que o diálogo se estabeleça e dite a aprendizagem sempre com leveza e ludicidade.


Para estas questões trazemos também os eixos de: “Corpo”, “Relações” e “Mundo”. É por meio de ações com outras crianças e adultos que a criança encontra seu lugar, a sua personalidade, os seus interesses, o seu olhar. Vivenciando a diversidade de interesses e saberes, entende que tem afinidades e que as suas ações têm impacto no coletivo e que esse coletivo pode ser maior que a própria escola.


Empatia e colaboração


Nenhum estudante é visto como superior ou grande detentor do conhecimento. Todos possuem saberes diferentes que podem ser aprimorados com as interações diárias, bem como adquiridos. A tendência é acolher qualquer que seja a dificuldade e aproximá-la com cuidado para que o estudante possa se desafiar e se aprimorar, respeitando as suas limitações e sua personalidade.


Há também uma movimentação mais respeitosa para incluir outras culturas e outros contextos sociais. Quanto maior a vivência na diversidade, maior o respeito pelas diferenças e a valorização das singularidades e de sua importância no coletivo.


Por meio das vivências cotidianas, vamos construindo experiências, trocas, conhecimentos, fortalecendo cada uma das crianças a traçarem seu próprio caminho e a interagirem para que juntas encontrem o bem coletivo.


Leia mais:

Comments


bottom of page