top of page

O que é a filosofia da educação?

Atualizado: 21 de mar. de 2023

Filosofia da educação


Quando falamos de educação e seus diferentes formatos e encaminhamentos, logo se pensa em metodologia. Afinal, como fazer?


Uma pergunta, no entanto, que deveria anteceder a ideia de como, é "por quê?". Por que fazer de um determinado jeito e não de outro?


"Por quê" antecede "como". O que está por trás das metodologias é a filosofia. Neste texto falaremos um pouco sobre o que é filosofia da educação, por que ela é importante e traremos alguns exemplos de importantes filósofos.


O que é filosofia da educação?


Filosofia da educação trata do conjunto de valores e concepções que direcionam as escolhas pedagógicas realizadas pelas escolas e pelos educadores. Ou seja, as premissas que estão por trás das metodologias.


Por exemplo, se uma escola entende, baseada nas teorias que a regem, que a criança é como uma "tábula rasa" que precisa ser "preenchida" com os conteúdos e conhecimentos que só o educador pode fornecer, isso vai resultar em um certo tipo de proposta.


Já se as ideias vão no sentido de uma criança produtora de cultura, que traz para a escola conhecimentos adquiridos em sua vida familiar e na comunidade, uma criança que não recebe nada passivamente mas contribui na construção do conhecimento, os caminhos traçados serão muito diferentes.


Qual é o objetivo da filosofia da educação?


Como mencionamos, a filosofia da educação antecede a metodologia. Assim, seu objetivo é informá-la. O que a escola toma como base filosófica serve de justificativa para as escolhas metodológicas.


No exemplo acima, se a crença é na criança como tábula rasa, as metodologias provavelmente estarão focadas em memorização, cópia, repetição. Um educador que fornece todas as respostas e um estudante que as recebe e as armazena, sem participação ou análise crítica.


Já no segundo caso, com uma filosofia que pressupõe a criança participativa, as metodologias serão ativas, demandando construção coletiva, reflexão, criatividade, autorizando o erro, etc.


São muitas as camadas de escolhas e decisões que são informadas pela base filosófica.


Essa base pode estar mais ou menos clara para o educador, e isso afeta a capacidade do educador de fazer julgamentos quanto a essas crenças e valores.


Por isso, é importante que o educador se aproprie dos porquês por trás do que propõe a seus estudantes, para que possa ser crítico e realizar mudanças quando forem necessárias.


Por que a filosofia da educação é importante?


Estudantes lendo livros de sua escolha em seu tempo autônomo. A filosofia da educação informa que tipo de propostas e organização de rotina terão prioridade.


Para além das decisões sobre rotinas, formatos de propostas, participação ativa (ou não) dos estudantes na construção do conhecimento, a filosofia da educação ocupa papel central na reflexão e tomada de decisão frente a dilemas.


Quando a situação vivenciada é delicada, envolve opiniões diversas ou traz conflitos, é a confiança na base filosófica adotada, a crença de que aqueles valores são importantes para aquela comunidade que vão informar o caminho a seguir frente ao dilema, ao conflito, ao problema.


Quanto mais desafiadora for a questão apresentada, mais importante será a clareza desses valores, não só para a pessoa responsável pela decisão mas também para a comunidade afetada por essa decisão.


Ao partilhar dos mesmos valores, a decisão, ainda que não aceita ou partilhada por todos, será ao menos compreendida e justificada, dando coerência e robustez ao projeto pedagógico.


Filosofia da educação (o por quê) e metodologia (o como)


Estar constantemente discutindo e revisitando as escolhas pedagógicas que fazemos é uma máxima para a educação holística.


Assim, nossas formações de educadores são sempre pensadas em termos de "por que fazemos o que fazemos" (filosofia) e "como fazemos o que fazemos" (metodologia).


Ora focamos nos nossos dispositivos:

  • Eles ainda fazem sentido?

  • Há algo que possa ser melhorado?

  • Esse é o melhor formato para essa finalidade?

Ora focamos nas razões por trás desses dispositivos, por exemplo:

  • Por que avaliamos com portfólios e não com provas tradicionais?

  • O portfólio responde à nossa necessidade de avaliação?

O interessante desse constante exercício entre como e por quê é que os "comos" podem mudar quantas vezes for necessário, já os porquês, apesar de também terem espaço para mudanças, são mais perenes, duradouros, têm a ver com discussões mais complexas e reflexões mais robustas.


Os comos mudam. Os porquês permanecem. Toda a comunidade escolar ganha em coerência e consciência.


Os educadores ficam mais autônomos e ganham enorme espaço de autoria uma vez que, garantidos os porquês (os valores por trás) - a filosofia - os comos podem varias de educador para educador e de grupo para grupo, garantindo, inclusive, personalização e olhar para a diversidade e a singularidade.


A filosofia da educação e alguns de seus teóricos


Como dissemos, para cada metodologia há um conjunto de valores. Abaixo traremos alguns nomes da filosofia da educação que informam alguns dos porquês por trás da educação holística.



Se você gostou deste texto e quer saber mais sobre métodos de ensino, leia também o texto sobre o que é a educação infantil e sua importância para as crianças.

37 visualizações0 comentário
bottom of page